O JOGADOR QUE MICHAEL JORDAN NÃO FOI CAPAZ DE VENCER

CONHEÇA O CURIOSO RETROSPECTO DE UM JOGADOR QUE JAMAIS PERDEU PARA O CHICAGO BULLS DE MICHAEL JORDAN NOS PLAYOFFS.


Talvez você não saiba, mas existe um jogador (um dos melhores de todos os tempos da NBA) que leva ampla vantagem contra Michael Jordan tanto na temporada regular quanto nos playoffs.


Você provavelmente deve estar achando que falaremos sobre Isiah Thomas e os bad boys do Detroit Pistons. É verdade que existe uma vantagem para Thomas e os Pistons, mas se analisarmos bem os números, essa vantagem não é tão ampla assim (pelo menos se compararmos com o jogador citado mais adiante), vejamos:

Apesar de ter apenas duas vitórias a mais, os Pistons de Isiah ganharam três séries de playoff contra os Bulls e perderam apenas uma (a última que disputaram na temporada 1990-91 em que acabaram sendo varridos) Mas como mencionado anteriormente, existe um jogador com um retrospecto mais favorável: Larry Bird.


Vamos aos números do confronto:

Reparem que Bird nunca sequer perdeu um jogo de playoff para Jordan (lembrando que na época o primeiro round dos playoffs era disputado em série melhor de 5, por isso os Celtics varreram os Bulls duas vezes por 3-0 nas temporadas de 1985-86 e 1986-87). Mas vamos dissecar e contextualizar melhor esses números.


Na temporada de 1985-86, os Bulls estavam sob comando de um novo técnico: Stan Albeck, que seria mandado embora depois dos playoffs para a contratação de Doug Collins.


Além disso, Michael Jordan com 23 anos e no seu segundo ano de NBA já era o principal jogador da equipe e chegava para os playoffs com apenas 18 partidas disputadas na temporada regular, pois no terceiro jogo do ano ele quebrou o pé. Com essa grande ausência, a equipe somou apenas 30 vitórias durante o ano e por isso se classificou em oitavo para enfrentar os Celtics, atual campeão do Leste, do MVP Larry Bird e de outros quatro jogadores futuramente no hall da fama (Dennis Johnson, Kevin McHale, Bill Walton e Robert Parish). Agora compare com o elenco dos Bulls na época:

Mesmo incapaz de vencer um jogo na série, Jordan teve números muito acima da média: 43,7 pontos por jogo; 6,3 rebotes; 5,7 assistências; 2,3 roubos e 1,3 tocos. Vale mencionar que no jogo 2 o camisa 23 marcou 63 pontos em pleno Boston Garden, feito que até hoje é recorde na história dos playoffs. Até mesmo Larry Bird se rendeu e afirmou depois da partida que “era Deus disfarçado de Jordan em quadra”.


Na temporada seguinte no primeiro ano de Doug Collins e com um elenco semelhante ao ano anterior confira:

Os Bulls conseguiram apenas mais dez vitórias do que 1985-86 e novamente ficaram em oitavo para enfrentar o mesmo Boston Celtics, que desta vez era o atual campeão da NBA e com os mesmos jogadores que iriam para o hall da fama. Dentro de um contexto semelhante ao ano anterior, o resultado praticamente foi o mesmo (varrida dos Celtics) e como o resultado foi construído também: Jordan com números altíssimos que foram incapazes de superar a equipe adversária:

Vale ressaltar também os números de Larry Bird:

Quase um triplo duplo por jogo, isso em uma época com um estilo de jogo mais cadenciado, menos posses de bola, menos arremessos de três pontos e com faltas mais violentas.


Acredito que depois de se depararem com esses fatos, os críticos de Michael Jordan (sim, eles existem) talvez peguem mais leve em relação às críticas por perder no primeiro round dos playoffs. Entretanto, isso também serve para exaltar a brilhante carreira de um dos melhores de todos os tempos: Larry Bird.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©