MARTIN SCORSESE: O REI DE MÁFIA

COMO O CINEASTA, DIRETOR, PRODUTOR, ROTEIRISTA E ATOR DOMINOU OS FILMES SOBRE MÁFIA.


Martin Charles Scorsese nasceu em Nova York - EUA, em uma família ítalo americana. Esse plano de fundo também é comum de muitos dos personagens do diretor, em seus famosos filmes que retratam a máfia nos Estados Unidos.


Multifacetado


O diretor se estabeleceu como um dos grandes da “nova era de Hollywood” (dos anos 60 em diante), com filmes em diversos gêneros. Tendo recebido diversas premiações.


Suas obras são bastante diversas, desde a aclamada biografia “Touro Indomável” (Raging Bull - 1980), passando pela comédia dramática “O Lobo de Wall Street” (The Wolf of Wall Street- 2013), o épico religioso “A Última Tentação de Cristo” (The Last Temptation of Christ - 1988), a comédia obscura “O Rei da Comédia” (King of Comedy - 1983) e o premiado drama Taxi Driver (1976).


Apesar desse vasto portfólio de grandes sucessos, Scorsese acabou conhecido mesmo por seus filmes de máfia. A lista é grande, mas os principais são: “Os Bons Companheiros” (Goodfellas - 1990), “Cassino” (Casino - 1995), “O Irlandês” (The Irishman - 2019), “Os Infiltrados” (The Departed - 2006) e “Gangues de Nova York” (Gangs of New York - 2002).


Origens


Martin Scorsese atribui muito de seu fascínio pela máfia por conta de suas raízes ítalo americanas. Afinal, na maioria dos filmes do gênero há ítalo americanos no centro da trama.


Outra parte importante foi sua infância no Queens e em Manhattan, distritos da cidade de Nova York. Assim, muitas das histórias contadas no cinema tiveram alguma conexão familiar e/ou da infância de Scorsese.


Nada romântico


Discutivelmente, o grande diferencial trazido por Scorsese em seus filmes de máfia foi como ele retratou os gângsters.


O principal nome do gênero com certeza é a trilogia “O Poderoso Chefão”, que conta a saga da família Corleone. Nela, os Corleone possuem um alto senso de proteção familiar, e vez ou outra falam em “honra”, “moral” e “lealdade”.


Scorsese sempre fez diferente. Se em “Poderoso Chefão” a família Corleone não é retratada como assassinos impiedosos, Scorsese sempre deixou claro em seus filmes quem são os gângsters de verdade.


Isso fica bem claro em “Os Bons Companheiros”, que talvez seja seu grande filme de máfia. Ao longo de suas mais de 3 horas, você vê sangue, traição, desonra e tudo o que foras da lei podem fazer. Não há qualquer tipo de romantização do crime.


“O Irlandês” deixa isso bastante claro também. O filme mostra inúmeras traições, além das costumeiras mortes violentas.


Legado


Scorsese é um dos grandes da história do cinema. E é um privilégio poder assistir seus filmes, seja qual for o gênero.


Mas uma coisa é fato: ninguém faz filmes de máfia como Martin Scorsese. E para nós, só resta apreciar.


0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©