JOGADORES DE FUTEBOL COM CAMISAS APOSENTADAS

Jogadores tão marcantes em clubes que tiveram suas camisas aposentadas

Muito comum nos esportes americanos, a aposentadoria de camisas em homenagem a um jogador também está presente no futebol em casos muito específicos, devido a peculiaridade do esporte mais popular do mundo.


Confira alguns exemplos interessantes:


Romário - 11, América-RJ

Apesar de só ter jogado um jogo oficial pelo “Mecão”, o baixinho nunca escondeu ser torcedor do America por influência de seu pai.


Romário voltou da aposentadoria em 2009 e atuou no jogo em que marcou o retorno do América à elite do futebol carioca. Após o feito, o baixinho acabou assumindo o cargo de dirigente do clube antes de se ingressar na política.


Mesmo com diversos torcedores ilustres, como Tim Maia, José Trajano e Zagallo, apenas Romário tem a honra da camisa aposentada.



Marcos - 12, Palmeiras

Talvez muitos não saibam, mas a camisa 12 palestrina esteve aposentada, pelo menos durante o período 2012-2017.


O motivo desse “impasse” deve-se ao fato de Borja ter usado a camisa em 2017 (depois mudou para 9) e atualmente Mayke. Isso ocorreu devido às recentes participações do Palmeiras na Libertadores, pois a Conmebol exige que a numeração dos clubes seja de 1-25, portanto seria inevitável o uso da camisa 12.



Maldini - 3, Milan

Após 25 anos no profissional do Milan, Paolo Maldini anunciou sua aposentadoria em 2009 e o clube que ele e seu pai, Cesare Maldini, defenderam durante toda vida como profissionais aposentou a camisa 3.


A peculiaridade nesse caso é por conta da exceção que o clube pode conceder para algum jogador usar a lendária camisa 3 rossonera: Apenas jogadores da família Maldini podem usar a camisa 3. Portanto, se o filho de Paolo vier a ser profissional, ele poderá ter a honra de “desaposentar” o número 3, assim como seus futuros descendentes.



Maradona - 10, Napoli

Por ter sido o protagonista dos dois únicos títulos do Campeonato Italiano do clube e da Copa da UEFA, o argentino foi homenageado com a aposentadoria de seu número assim que deixou o Napoli em 1991.


Nesse caso, o clube segue a risca a aposentadoria do manto até nos dias hoje, a única exceção foi nas temporadas em que o clube atuou na terceira divisão do país, pois, assim como a Conmebol, na terceira divisão italiana as numerações são limitadas.



Johan Cruyff - 14, Ajax

O maior jogador holandês da história recebeu a homenagem em 2007 quando completou 60 anos de vida.


De lá pra cá nenhum jogador chegou a vestir o número 14 devido ao tamanho do respeito que Cruyff tem no futebol, especialmente no Ajax, clube que defendeu por maior parte de sua carreira e conquistou três títulos europeus seguidos, além de dar nome ao estádio do clube, a Johan Cruyff Arena.



0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©