DE JOGADOR EM JOGADOR, COMO O FLAMENGO MONTOU O TIMAÇO DE 2019

O time do Flamengo de 2019 já fez história no futebol brasileiro, mas como o time chegou à sua configuração atual?

Depois de anos no "cheirinho", e uma política de contenção de gastos extremamente eficiente, apesar de impopular entre muitos torcedores, o Flamengo finalmente conseguiu montar um grande time, que vai ficar na memória do torcedor rubro-negro.




Mas como o time titular de 2019 foi montado? Vejamos jogador por jogador:


Diego Alves

O paredão rubro negro chegou com certa desconfiança na Gávea em 2017. Apesar de sólida carreira na Europa, Diego Alves não havia sido ídolo em nenhum grande clube brasileiro, o que sempre gera certa desconfiança.


Hoje a história é diferente, depois de três anos a frente da meta Rubro Negra o valor de 300 mil Euros parece ser uma grande pechincha para um goleiro de alto nível, como é Diego Alves, que resolveu um baita problema que o time tinha.


Rafinha

Depois de grande carreira na Europa, com passagens na Genoa, no Schalke 04 e no Bayern de Munique, o lateral Rafinha chegou na Gávea no meio de 2019, após o fim da temporada europeia.


Rafinha adicionou muita experiência ao elenco rubro negro, especialmente em grandes partidas. O futebol também não ficou atrás, tendo sido um grande destaque da vitoriosa campanha de 2019. Vale lembrar que a posição era extremamente carente, especialmente quando Rodinei era o titular.


Rodrigo Caio

Rodrigo Caio chegou bastante contestado no início de 2019. Afinal, seu preço de 5 milhões de Euros não era baixo, especialmente para um jogador que estava no banco do São Paulo há algum tempo.


O zagueiro, no entanto, conseguiu superar as desconfianças, após uma sequência de atuações sólidas conseguiu conquistar o torcedor flamenguista. Sua temporada até lhe rendeu convocações para a Seleção Brasileira. Não seria absurdo dizer que a transferência ao Flamengo mudou o rumo de sua carreira.


Pablo Mari

Mari chegou desconhecido ao Brasil em julho de 2019. O zagueiro espanhol de 26 anos pertencia ao poderoso Manchester City, mas nunca havia vestido sua camisa, tendo sido emprestado diversas vezes. Na última temporada jogou pelo Deportivo La Coruna, na segunda divisão espanhola, entrando em campo em 36 de 38 jogos do clube.


O jeito que Mari assumiu a camisa Rubro Negra logo fez com que caísse nas graças do torcedor, e fazer do valor de 1,1 milhões de Euros pagos uma verdadeira pechincha.


Filipe Luís

Ao exemplo de Rafinha, Filipe Luís chegou ao Mengão em julho de 2019 da Europa, vindo em fim de contrato. O lateral teve grande carreira na Europa, especialmente no Atlético de Madrid. Além de inúmeras passagens pela Seleção Brasileira, incluindo a Copa do Mundo de 2018.


William Arão

O volante já é um dos mais antigos do time atual, tendo chegado em 2016, vindo do rival Botafogo. Arão viveu inúmeros altos e baixos com a camisa do Flamengo, mas na temporada de 2019, comandou o Flamengo em desarmes.


Gerson

Mais um que chegou no meio do ano, Gerson tem um quê especial. Com apenas 22, e já tendo acumulado passagens pela Roma e Fiorentina, sem muito sucesso, o meia também chegou com um alto preço nas costas: 11,8 milhões de Euros.


Além do valor astronômico, também havia a questão de suas fracas passagens na Europa e o fato de ter sido revelado no Fluminense, grande rival do Flamengo. Mas como tudo dá certo na Gávea, o sucesso de Gerson não poderia ter sido maior. O meia até recebeu o apelido de "Coringa", por sua versatilidade em campo e súplicas para convocações para a Seleção Brasileira.


Éverton Ribeiro

O meia Éverton RIbeiro chegou em 2017 vindo do Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, por 6 milhões de Euros. Peça fundamental no time de 2019, Éverton também viveu momentos de contestação na Gávea, mas que já ficaram para trás.


De Arrascaeta

O uruguaio logo chegou com uma gigante etiqueta de preço:15 milhões de Euros, se transformando na maior contratação da história do Flamengo.


Apesar de início morno, devido especialmente a problemas com o então treinador Abel Braga, Arrascaeta acabou deslanchando seu futebol, e até agora justificando seu alto valor.


Bruno Henrique

Bruno Henrique foi outro que chegou com uma etiqueta de preço nas costas: 23 milhões de reais pagos ao Santos. Entretanto, dificilmente o Flamengo poderia ter feito um uso melhor desse dinheiro, ainda mais se compararmos com os mesmos 23 milhões que o Palmeiras desembolsou para contratar o atacante Carlos Eduardo, que estava no Pyramids FC, do Egito. O atacante desequilibrou diversas partidas, sendo considerado por muitos o craque do Brasileirão.


Gabigol

Gabriel Barbosa, o Gabigol, vinha de grande temporada pelo Santos, onde foi o artilheiro do Brasileirão. Mesmo assim, pairavam dúvidas por sua contratação, especialmente pelo fato do atacante nunca ter jogado bem com outra camisa além do Santos.


O jogador chegou por empréstimo da Internazionale de Milão, que detém os direitos sobre o atleta, tendo o Flamengo concordado em arcar com seu alto salário, na casa de R$1,25 milhões.


Dono do bordão "Hoje tem gol do Gabigol", seria difícil encontrar um jogador mais ídolo que Gabriel Barbosa lá na Gávea.


Jorge Jesus

Sem o treinador português talvez nada disso teria sido possível. O "Mister", como ficou conhecido, também chegou no meio da temporada, vindo do Al Hilal, da Arábia Saudita.


Dono de carreira estável na Europa, mas sem muito brilho, Jesus chegou na Gávea com uma missão: ganhar. Como não podia faltar nesse time de 2019, Jesus também chegou sob desconfiança e logo a destruiu.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©