A MELHOR TEMPORADA DE UM RUNNING BACK NA HISTÓRIA DA NFL?

QUAL FOI A MELHOR TEMPORADA DE UM RUNNING BACK NA HISTÓRIA DA LIGA? A QUE TEVE MAIS TOUCHDOWNS? MAIS JARDAS TERRESTRES? MAIS JARDAS DE SCRIMMAGE?


A temporada de 1977 da lenda Walter Payton possivelmente foi a maior de todas por um running back, superando até mesmo a temporada de 1984 do Eric Dickerson (2105 jardas terrestres, que é o recorde da liga), a de 2006 de Ladainian Tomlinson que quebrou o recorde de touchdowns terrestres (31), 2009 do Chris Johnson com 2509 jardas de scrimmage (maior marca da história) e de tantos outros grandes desempenhos ao longo de uma temporada por outros grandes RB’s (Shaun Alexander/2005, Emmitt Smith/1995, Marshall Faulk/2000). Mas quais fatos podem credenciar Walter Payton 1977 a melhor temporada de todas?



Números acima da média na liga

Para começar, vamos destacar suas estatísticas e números que estão no mesmo patamar dos demais mencionados anteriormente. Na sua terceira temporada como profissional Walter Payton obteve 2121 jardas de scrimmage (1852 delas por terra), 339 carregadas, média de 5,46 jardas por carregada, 16 touchdowns (14 por terra e 2 recebendo passe) em 14 jogos que representaram 55% da pontuação do time na temporada. Em todas essas categorias citadas ele foi o líder da NFL.


“Jogando Sozinho”

Além de nem todos seus concorrentes terem sido eleitos MVP de suas respectivas temporadas (Eric Dickerson 1984, Emmitt Smith 1995 e Chris Johnson 2009), outro fator que difere Payton da maioria é o de que ele teve de “jogar sozinho”. Em um dos esportes mais coletivos de todos, o lendário “Sweetness”, como era conhecido, foi capaz de carregar um time bem abaixo da média para os playoffs.


Podemos começar mencionando que a média de idade do elenco dos Bears em 1977: 24 anos e 6 meses (time mais jovem da liga). O jogador titular mais velho do ataque tinha 27 anos. Mas não eram apenas os jogadores, o técnico Jack Pardee tinha apenas 28 jogos em sua carreira (perdendo 17 deles) e depois da temporada de 1977 seria demitido.


Para piorar, o ataque do time era extremamente unidimensional; ou seja, o jogo aéreo era bem abaixo até para os padrões da época. Das 28 equipes o ataque aéreo ficou em vigésimo primeiro naquele ano, o QB titular Bob Avellini lançou para 11 TD’s e 18 interceptações, sem mencionar que dos 14 jogos, em quatro deles Avellini não conseguiu completar ao menos 5 passes.


Sem jogo aéreo e com as médias altas de Walter Payton a linha ofensiva deve ter ajudado, certo? Errado. Nenhum dos jogadores de linha ofensiva do Chicago Bears 1977 foram selecionados para Pro-Bowl ou All-Pro ao longo de suas respectivas carreiras.


Diante desse cenário e sabendo que os Bears foram para os playoffs, você talvez tenha pensado que a defesa pelo menos ajudou bastante e era acima da média, mas isso também não é verdade. No quesito de pontos cedidos a equipe foi a décima nona da liga mesmo com Allan Ellis sendo selecionado para o Pro-Bowl (o único jogador dos Bears que conseguiu além de Walter Payton).


Performances marcantes e históricas

Apesar de tudo, Walter Payton conseguiu levar seu time para os playoffs com uma campanha de 9 vitórias e 5 derrotas, sendo decisivo semana depois de semana, com seus 16 touchdowns que representam 55% da pontuação do time na temporada. Peyton teve atuações brilhantes como:


- Semana 7 contra os Packers (205 jardas, 2 TD’s e 26-0 no placar para recuperar as esperanças da equipe que estava 2-4).


- Semana 9 contra os Chiefs fora de casa em que os Bears conseguiram uma virada de 17 pontos com 3 TD’s e mais de 200 jardas de scrimmage.


- Semana 10 contra os Vikings em Chicago, esse foi o primeiro “Flu Game” da história da cidade, nem mesmo a gripe e a temperatura abaixo dos 9 graus celsius impediram Payton de correr para 275 jardas (recorde na época) em 40 carregadas e fazer o único touchdown da equipe que acabou sendo suficiente para vencer a partida por 10 a 7.


A surpreendente temporada da equipe acabou no Divisional Round dos Playoffs, quando enfrentaram os Cowboys que seriam campeões daquele ano, em uma lavada de 37 a 7.


Por todos esses fatores é que a temporada de 1977 do “Sweetness” talvez seja a mais grandiosa de todas. Repare que todas as demais são resultadas de grandes equipes, recheadas de jogadores selecionados para Pro-Bowl diversas vezes e com um bom comando técnico. Nesse cenário, Walter Payton acaba sendo a exceção à regra.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©