A “MALDIÇÃO DE BÉLA GUTTMANN” DO BENFICA

CONHEÇA A HISTÓRIA DE UMAS DAS MAIS FAMOSAS “MALDIÇÕES” DO FUTEBOL EUROPEU.


Béla Guttmann nasceu no dia 27 de janeiro de 1899 em Budapeste, teve carreira como futebolista, mas acabou entrando para a história do futebol exercendo a função de técnico.


Comandou clubes famosos como Milan - ITA, Porto e Benfica de Portugal, Quilmes - ARG, Peñarol - URU e até mesmo o São Paulo FC onde conquistou o Paulistão de 1957 e foi mentor de Vicente Feola (técnico campeão do mundo com a seleção brasileira de 1958).


Considerado um dos 50 maiores treinadores de todos os tempos pela revista France Football, descobridor do lendário Eusébio e vencedor de 2 Campeonatos Portugueses, 1 Taça de Portugal e 2 Copas dos Campeões (equivalente a UEFA Champions League atualmente) com o Benfica, o húngaro acaba, por muitas vezes, sendo lembrado por uma suposta maldição que assombra o Benfica até os dias de hoje.


O início de tudo


A famosa maldição se iniciou logo após o Benfica, comandado por Guttmann, vencer sua segunda Copa dos Campeões de maneira consecutiva na temporada 1961-62, derrotando o Real Madrid pelo placar 5x3.


Vale lembrar que o clube espanhol vinha de 5 títulos consecutivos da competição até o clube de Lisboa interromper a sequência ganhando seus dois títulos no início dos anos 60. Por isso, muitos enxergavam que era a vez do Benfica reinar na Europa.


Guttmann, com muito orgulho de seu trabalho, foi ao presidente do clube na época, António Carlos Cabral, pedir por um bônus pelas conquistas e um aumento salarial. O presidente negou o pedido do técnico húngaro alegando que nada disso estava previsto no contrato assinado.


Reza a lenda que Guttmann ficou furioso e decepcionado com a atitude do presidente e deixou a sala da reunião garantindo que “sem mim, nem em 100 anos o Benfica vai conquistar outra taça europeia”.


Alguns dizem que o treinador disse 30 anos, outros afirmam que ele se referiu a todos os demais clubes portugueses que viveriam uma seca de títulos europeus.


Fato é que após a conquista de 1962, o Benfica jamais levantaria outra taça europeia e internacional em sua história.


Retrospecto em decisões europeias após a saída de Guttmann

- Benfica 1 x 2 Milan; final da Copa dos Campeões 1962-63

- Benfica 0 x 1 Inter de Milão; final da Copa dos Campeões 1964-65

- Benfica 1 x 4(prorrogação) Manchester United; final da Copa dos Campeões 1966-67

- Benfica 5 x 6(pênaltis) PSV; final da Copa dos Campeões 1987-88

- Benfica 0 x 1 Milan; final da Copa dos Campeões 1989-90

- Benfica 1 x 2 Anderlecht; final Copa da UEFA (equivalente a Liga Europa) 1982-83 (final disputada em dois jogos)

- Benfica 1 x 2 Chelsea; final Liga Europa 2012-13

- Benfica 2 x 4(pênaltis) Sevilla; final Liga Europa 2013-14


Menções honrosas

- Benfica 4 x 8 Santos FC; final da Copa Intercontinental 1962 (final disputada em dois jogos)

- Benfica 0 x 3 Barcelona; final da Liga Jovem da UEFA* 2013-14

- Benfica 1 x 2 Red Bull Salzburg; final da Liga Jovem da UEFA* 2016-17


São histórias como essas, seja por maldição, incompetência ou a mistura dos dois, que sempre nos fazem lembrar da famosa frase “Não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem!”.


*Liga Jovem da UEFA é disputada pelas equipes sub-19 dos clubes europeus.



0 visualização
  • Facebook
  • Instagram - Grey Circle
  • Spotify - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle

ARK ©